Foto: Acervo FLONA Tapajós

Embargo ao igarapé da Comunidade de Jamaraquá

Foto: ICMBio

CAMPANHA DE SENSIBILIZAÇÃO

Leia Mais
  • Sexta-Feira

    Pancadas de Chuva

    33 °C

    26 °C

  • Sábado

    Pancadas de Chuva a Tarde

    34 °C

    25 °C

Santarém - PA

  • Quarta-Feira

    Pancadas de Chuva

    35 °C

    24 °C

  • Quinta-Feira

    Poss. de Panc. de Chuva a Tarde

    31 °C

    24 °C


A FLORESTA NACIONAL DO TAPAJÓS

A Floresta Nacional do Tapajós é unidade de conservação – UC federal da natureza localizada na Amazônia, criada através do Decreto n° 73.684, de 19 de fevereiro de 1974.

Possui atualmente área de 527.319 hectares. A UC abrange os municípios de Aveiro, Belterra, Placas e Rurópolis, no Oeste do Estado do Pará.

O objetivo da UC é o uso múltiplo sustentável dos recursos florestais e a pesquisa científica, com ênfase em métodos para exploração sustentável de florestas nativas (Lei. 9.985/2000). O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade- ICMBio é o órgão gestor da Unidade.

O ICMBio é uma instituição pública federal, vinculada ao Ministério do Meio Ambiente, responsável pela gestão das 324 Unidades de Conservação Federais - cerca de 10% do território brasileiro. A missão do ICMBio é proteger o patrimônio natural e promover o desenvolvimento socioambiental.

A gestão da UC é realizada com base nas diretrizes do Plano de Manejo. As comunidades, bem como os demais atores sociais envolvidos, direta e indiretamente na gestão da UC, são representadas no Conselho Consultivo, criado em 2001.

A Floresta Nacional possibilitou o acesso e promoção do uso sustentável dos recursos naturais pelos moradores da unidade. O Manejo Florestal Comunitário, realizado em uma área especialmente reservada para esse fim, é uma importante referência de uso sustentável da floresta.

Além do Manejo Florestal destacam-se diversas iniciativas de uso sustentável com envolvimento comunitário, tais como: extração do látex, extração de óleos de andiroba e copaíba, produção do couro ecológico a partir do látex, biojóias, móveis artesanais, comercialização de frutas in natura (açaí), produção de polpas e licores, produção de farinha, produção de mel, criação de peixes e turismo de base comunitária.

A UC também apresenta expressiva riqueza sociocultural, representada por cerca de mil famílias e quatro mil moradores, distribuídas em 21 comunidades, três aldeias indígenas da etnia Munduruku (Bragança, Marituba e Takuara) e localidades ao longo da BR-163 (lotes com assentados do INCRA).

A unidade apresenta mais de 160 quilômetros de praias e uma grande diversidade de paisagens: rios, lagos, alagados, terra firme, morros, planaltos, floresta, campos, açaizais, etc. As belas praias do Rio Tapajós, as trilhas entre a mata, as grandes árvores como a Sumaúma Vovó, a presença de população tradicional e indígena oferece aos visitantes a oportunidade de interagir com a natureza e com a cultura local.

Além disso, a cobertura florestal fortemente preservada, o Rio Tapajós com suas águas verdes e mornas, e a enorme beleza cênica da região tornam a Floresta Nacional do Tapajós uma das unidades de conservação mais visitadas na região norte do Brasil. Em 2017 foram mais de 42 mil visitantes entre turistas, pesquisadores, estudantes e outros.

O turismo é uma atividade em destaque na UC, com grande diversidade de atividades, inclusive esportivas, entre elas a maratona de selva, a "JUNGLE MARATHON", que reúne atletas de diversos países e do Brasil.

A UC também é uma das unidades de conservação mais pesquisadas na Amazônia. De 2007 até agosto de 2017 foram cadastradas 372 solicitações com finalidade científica, das quais 65 licenças foram registradas em 2017.

Finalmente, agora que você conhece um pouco mais da Floresta Nacional do Tapajós. Seja bem vindo (a) para conhecer, pessoalmente, esse incrível pedaço da Amazônia!

Cordialmente,

JOSÉ RISONEI ASSIS DA SILVA

Gestor da Floresta Nacional do Tapajós – ICMBio