Destaques

14/01/21

Após 10 anos sem registro, espécie de Rivulídeo, ameaçada de extinção, é encontrada!

Campellolebias dorsimaculatus Wilson J.E.M. Costa 2

 

Foto Wilson J.E.M. Costa


No final de dezembro passado, surgiu uma ótima notícia no campo da Conservação do Meio Ambiente.
O Prof Dr. Domingos Garrone e sua equipe da UNESP Campus de Registro-SP, localizaram a espécie Campellolebias dorsimaculatus, um peixe anual criticamente em perigo de extinção, em uma nova localidade da região, onde não constava registro da espécie há cerca de 10 anos.A espécie é endêmica do Bioma Mata Atlântica e só ocorre no litoral sul de SP. Habita brejos temporários na borda da floresta. Atinge 2,8 cm de comprimento padrão, os machos possuem coloração mais intensa e com as nadadeiras mais pronunciadas do que a das fêmeas.

A principal ameaça a C. dorsimaculatus é a destruição dos ambientes alagáveis ocupados pela espécie, em virtude principalmente da atividade agrícola e loteamentos urbanos.
O Projeto é financiado pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, com o apoio do Mater Natura. Os membros do projeto colaboram com dois Planos de Ação do ICMBio/CEPTA que têm relação com a descoberta: PAN Rivulídeos e PAN Peixes e Eglas da Mata Atlântica. Saiba mais em: http://www.maternatura.org.br/.../equipe-de-projeto.../

 

 

31/12/20

CEPTA deseja à todos, um ótimo 2021

Que as nossas energias sejam renovadas e que tenhamos um Ano Novo cheio de luz, paz e amor.

ano novo cepta

 

29/12/20

Analista do cepta se reune com a Comissão Gestora do Rio Verde Pequeno.

apres rivus

Hypsolebias marginatus Wilson J.E.M. Costa

Foto: Prof Dr. Wilson J. Costa- UFRJ

 

reunião rivus

No presente mês, ocorreu a 2ª Reunião Ordinária da Comissão Gestora da bacia hidrográfica do Rio Verde Pequeno (CGVP).

Na ocasião, a Analista Ambiental do CEPTA Maria Rita Barreto, apresentou o PAN Rivulídeos e alertou aos presentes sobre o alto risco de extinção do grupo Rivulidae.

Este grupo de espécies, possui grande ocorrência na sub-bacia do Rio Verde Pequeno e a Analista fez um alerta sobre os novos empreendimentos na região que podem impactar na sobrevivência dessa família de peixes se critérios de proteção não forem adotados.

Por fim, na referida reunião a Analista Ma. Rita apresentou um mapa, elaborado pela equipe de geoprocessamento do CEPTA, indicando as áreas de ocorrência das espécies na bacia do Rio Verde Grande que ocorrem nos Estados de Minas Gerais e Bahia.

Mais detalhes em: https://cbhverdegrande.org.br/noticias/informacoes/cgvp-realiza-sua-2a-reuniao-ordinaria-do-ano/